sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Reencontros

Doar-se nunca foi algo fácil para mim...
Acredito que para ninguém é, mas depois de certas coisas que acontecem na vida, os muros da desconfiança se tornam verdadeiras mulharas.
E deixar essa proteção é um ato quase sobre humano.
É um ato de extrema coragem, coragem baseada e fortalecida no desejo de amar e de ser amada.
As pessoas são diferentes, os relacionamentos são diferentes, as expectativas são diferentes. Mas o desejo de amar e ser amado sem ressalvas são iguais para qualquer um.
Depois de muito cair, de me apoiar em situações passageiras, sinto agora que caminho com minhas próprias pernas e esta espécie de coragem de mergulhar na incerteza e aventura da vida, me dá uma espécie de força e alegria para confiar na ventura que a vida pode ser.
E sinto no peito uma vertigenzinha, que acompanha o medo, que acompanha a incerteza, que acompanha ao decisão de querer e voltar amar. Um sentimento misturado ao mel e ao fel de estar viva, bem viva, correndo o perigo que é estar assim.
Sinto que ganho coragem, cada vez mais coragem.
E sinto que sou, estou e serei. Inteira.
E não quero nunca mais deixar de ser assim.
Pois sendo inteira poderei ser metade. E somada a outra metade inteira, poderei ser metade de um inteiro completo, seguro e firme.
Ainda que não seja você, e que certas complexidades da vida a dois, venham afastar a certeza de ser você o futuro da minha vida.
Não poderei esquecer que na esperança de sermos "nós", eu reencontrei a mim mesma.

What Am I to You -Norah Jones

Um comentário:

Anônimo disse...

Edhy,

tenho um profundo respeito pelas palavras que você usa para traduzir o que vai na alma. Eu poderia escrever milhões de palavras, elogios, etc., para dizer o quanto sou admiradora desse blog.

Eu também tenho essa necessidade visceral de transcrever as batidas do coração, o gosto salgado das lágrimas, a "música" de um certo olhar.

Obrigada por compartilhar textos que eu gostaria imensamente de ter escrito, como na música do Milton Nascimento (Certas Canções)...

Namastê!

Tatiana Lambert